05 de janeiro de 2019 às 19:22

O Gás Total deste Sábado foi babado! Se perdeu, ouça!


Foto: Reprodução

Cassandra Venturiny passou o Programa inteiro cobrando a respeito da MP assinada pelo presidente eleito que retira as diretrizes para a população LGBT, falou também a respeito da Ministra Damares Alves que disse sobre definição de cor para gêneros, "Quando se preocupa em cor de roupa para os gêneros (masculino ou feminino), mostra que o governo não está preocupado em fazer um bom governo e sim em close, e os dos mais errados closes. Quando eu falo em cor, é o caso da Damares, ministra do governo Bolsonaro, que em vídeo virilizado na internet, diz que azul é cor de menino, e rosa é cor de menina, meus filhos vestem a cor que eles quiserem, eu visto a cor que eu quiser, e ninguém tem a ver com isso, o pior disso tudo são os puxa sacos que estavam e estão a cada declaração ridícula como essa, batendo palmas e vibrando como se estivessem em um estádio de futebol. Falam tanto em valores e esses deles arcaicos, porque muita coisa mudou e muda, temos vários gêneros, muitos e esses nunca foram, não serão e jamais vão ser definidos por cor alguma. Isso é uma definição de gente desinformada, falta respeito as pessoas, falam tanto em respeito à família, e esquecem de respeitar a diversidade, insistem em tampar os olhos para a diversidade que existe na humanidade, querendo ou não existirá, e não vai ser governo algum que mudará isso! Parem, isso não existe! O que vocês querem impor a nós não existe! Não queremos que nos aceitem, nunca foi desta forma, o que queremos e lutamos todos os dias é por respeito e desse eu não abro mão, pois pagamos impostos, esses iguais a qualquer um", disse cassandra.

Cassandra também falou que o Brasil é é primeiro lugar do ranking de assassinatos de transexuais, "Quando falamos em respeito, falamos que são mortos todos os dias milhares de LGBTQ+, esses que não tem proteção do estado para serem defendidos, são pessoas violentadas todos os dias, sem proteção e política pública que os defendam. Procuro essa coisa, que tanto falam, que queremos privilégios. Quais? Somos agredidos todos os dias, não somos respeitados como somos, por pessoas que jamais vimos na vida e até pelos de dentro de casa, que por causa da negação de alguns, propagação de ódio contra nós de outros, nos violentam, botam pra fora e muitas vezes matam, é pra isso que precisamos de políticas públicas, como negros, mulheres por exemplo sofrem da mesma forma, que tem políticas públicas voltadas, que os protegem, da falta de respeito do próximo. Onde está o privilegio nisso? 

Retiram, excluem, das diretrizes dos Direitos Humanos, com a desculpa que estamos incluídos como qualquer outro, mentira! Não somos como qualquer outro, somos mortos todos os dias, violentados, como já citei aqui, como que queremos ser privilegiados, precisamos e necessitamos SIM de políticas públicas que assegurem o direito de ir e vir, aí sim como qualquer outra pessoa, que tem o seu direito de ir e vir, sem que nos ataquem. O que o governo precisa é lidar com a diversidade e sair do arcaico, e viver o presente, por que hoje existe uma grande diversidade, querendo ou não, existe e existirá! Parem de tampar os olhos e querer fazer a sociedade tampe também, pois existimos e resistiremos a tudo que for contra nós.

O que queremos é respeito! Se assim desejam que sejam respeitados, nos respeitem! 

Somos parte da família, não a tradicional que vocês criaram, mas fazemos parte da família, pois nascemos de uma mulher, com a participação de um homem, e nascemos como somos, gostando do que gostamos, muitas vezes, não do que queremos, pois cismam em colocar como errado, por que Deus não permite, que Deus é esse que exclui seus filhos, não é o mesmo Deus que eu sigo, que é amor, aceitação, inclusão, que ama seus filhos como são. Afinal fui criado por Ele, embora dizem que não, mas fomos criados sim e pronto! Respeitem!", cobrou.

Abaixo o que rolou no programa:
  • Ong projeta frases de apoio à comunidade LGBT em prédios da Esplanada;
  • Medida Provisória assinada por Bolsonaro não explicita diretrizes para população LGBTI;
  • Damares explica vídeo: cor é metáfora contra ideologia de gênero;
  • Brasil é primeiro lugar do ranking de assassinatos de transexuais;
  • Famoso maquiador gay comemora saída das diretrizes LGBT dos Direitos Humanos;
  • Gretchen comemora Thammy Miranda como vereador e critica governo Bolsonaro.

Quer ouvir inteirinho? Clique aqui


Fonte: Equipe

comentários

Estúdio Ao Vivo