24 de janeiro de 2019 às 19:40

David Miranda assumirá vaga de Jean Wyllys na Câmara


Foto: Reprodução

De acordo com a Secretaria-Geral da Câmara, o suplente do deputado federal Jean Wyllys, que anunciou a desistência do novo mandato em razão de ameaças, é o vereador carioca David Miranda (PSOL-RJ). Em entrevista ao G1, David disse que vai tentar dar sequência ao trabalho do primeiro representante da comunidade LGBT a assumir uma vaga na Câmara dos Deputados.

"Eu sinto como mais um trabalho que necessita ser feito. Eu sou vereador aqui no Rio de Janeiro, consegui passar muitas leis aqui e sinto que em Brasília eu posso entregar muito mais. Na luta pela comunidade LGBT, contra o extermínio da juventude negra que é morta todos os dias na favela", disse Miranda, que foi o primeiro vereador assumidamente LGBT a ser eleito no Rio.

Para o suplente, Jean Wyllys não sai enfraquecido com a decisão.

"É uma situação muito complicada e delicada, ele é um guerreiro muito forte, sempre lutou do nosso lado. É muito triste ver ele saindo da política dessa forma. Mas não vejo ele saindo enfraquecido de forma alguma, pelo contrário. Ele sempre vai ser essa figura de força. "

No Twitter, ele disse: "Iremos com tudo para Brasília. Nossas bandeiras serão defendidas com o amor e comprometimento de sempre. Meu sonho é uma sociedade mais justa, e menos intolerante. Nenhum governo calará nossas vozes".

Perfil

David foi eleito vereador em 2016 no Rio com 7.012 votos. Na eleição para deputado federal em 2018, teve 17.356 votos, tornando-se o primeiro suplente para a vaga de Jean Willys.

Nascido no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, tem 33 anos de idade. Suas bandeiras políticas são a luta contra o racismo, a LGBTfobia e a luta contra a criminalização da pobreza, além de preservação dos direitos dos servidores públicos do Rio.

David é casado com o jornalista Glenn Greenwald e fez parte da equipe que investigou as denúncias de espionagem do governo americano feitas por Edward Snowden. Foi detido pelo governo britânico em 2013 e processou o governo do país, vencendo a ação.

Marielle Franco

Durante a conversa com o G1, David citou a amiga e colega vereadora Marielle Franco, executada em 14 de março de 2018. Em seu site oficial, ele conta todos os dias desde a morte: nesta quinta, são 317 dias desde o crime, que segue sem solução.

"Lembro de como ela estava sempre do meu lado. Minha grande amiga Marielle foi assassinada, procuramos por respostas até hoje", lamentou David.

Suplente assume na Cãmara do Rio
Suplente de David Miranda, Dr. Marcos Paulo (PSOL-RJ) assumirá a cadeira dele na Câmara Municipal do Rio. Carioca e médico cirurgião geral, tem como bandeira o trabalho de ajuda aos animais de rua e vítimas de maus-tratos.

Fonte: G1

comentários

Estúdio Ao Vivo